Causas, sintomas e tratamento da amigdalite. Definição e detalhe dos diferentes tipos de amigdalite, nomeadamente amigdalite viral, amigdalite aguda bacteriana e amigdalites de repetição. Abordamos todos os tipos de tratamentos, médicos, alternativos e naturais.


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Amigdalite e a função das amigdalas

Para entender a amigdalite é importante conhecer a função das amígdalas.
As amígdalas são órgãos predominantemente de células ß com ß-linfócitos, compreendendo 50% a 65% de todos os linfócitos tonsilares. Linfócitos de células T compreendem aproximadamente 40% de linfócitos tonsilares e 3% são células plasmáticas maduras.
Amígdalas estão envolvidas na indução da imunidade secretora e regulação da produção de imunoglobulina. As amígdalas estão numa localização favorável para mediar a proteção imunológica do trato aerodigestivo superior quando é exposto a antígenos transportados pelo ar. Além disso, existem 10 a 30 criptas em cada tonsila, que são ideais para prender o material estranho e transportá-lo para os folículos linfóides. A proliferação de células ß nos centros germinais das amígdalas, em resposta a sinais antigénicos, é uma das funções tonsilares mais importantes.
As amígdalas humanas são imunologicamente mais ativas entre as idades de quatro e dez anos. Involução das amígdalas começa após a puberdade, resultando numa diminuição das células ß.
Embora a produção total de imunoglobulina seja reduzida, existe ainda atividade considerável de células ß se estivermos perante amígdalas clinicamente saudáveis. As consequências imunológicas de amigdalectomia são claras. É evidente, no entanto, que a amigdalectomia não resulta numa deficiência imunológica importante.

Índice dos artigos relativos a Amigdalite
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL