Causas, sintomas e tratamento da amigdalite. Definição e detalhe dos diferentes tipos de amigdalite, nomeadamente amigdalite viral, amigdalite aguda bacteriana e amigdalites de repetição. Abordamos todos os tipos de tratamentos, médicos, alternativos e naturais.


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Tipos de amigdalite

As amigdalites podem ser virais ou bacterianas.

Nas virais os principais agentes causadores são os vírus influenzae A e B, parainfluenzae 1, 2 e 3, echovírus, paramyxovírus, adenovírus, vírus Epstein-Barr (mononucleose), Herpes vírus e coxsakie vírus. Estes pacientes apresentam em geral um quadro de infecção de vias aéreas superiores associado com congestão nasal, coriza e lacrimejamento.

As amigdalites agudas bacterianas têm como principais causadores o Streptococcus ß-hemolítico do grupo A, Haemophilus influenzae, Staphylococcus aureus e associação fuso-espiralar. Os sintomas são mais intensos que na infecção viral, os pacientes ficam mais toxemiados, com febre por um período mais duradouro e podem trazer complicações como abscessos, febre reumática, problemas nos rins, no coração e septicemia. O tratamento é com antibiótico, anti-inflamatórios e anti-térmicos.

Amigdalites de repetição: A presença de maior número de infecções está ligada principalmente a piores condições sócio-econômicas, como ocorre com a população pobre, que geralmente habita locais pequenos e com grande número de moradores, aliadas à presença de animais domésticos, à exposição passiva ao tabaco, e à falta de alimentação adequada das crianças, fazendo com que estes sejam os potenciais fatores de risco para o aparecimento desses quadros. Nesses casos a bactéria tende a ser mais resistente aos antibióticos. Em alguns casos está indicado o tratamento cirúrgico (amigdalectomia).

Fatores de Risco para amigdalite

Amigdalite ocorre muitas vezes em crianças. Uma criança até 10 anos de idade é particularmente suscetível a contrair amigdalite. A razão pela qual as crianças estão altamente em risco de desenvolver amigdalite quando comparadas a adolescentes e adultos é porque seu sistema imunológico ainda não está totalmente desenvolvido. À medida que a criança cresce, suas amígdalas encolhem em tamanho, tornando a ocorrência de amigdalite altamente improvável à medida que envelhece. Entre os bebés e crianças, a amigdalite causada por um vírus é mais comum, enquanto que em crianças mais velhas e adultos, a sua amigdalite pode ser causada por infecção bacteriana que por qualquer outra coisa.
Outro fator de risco para amigdalite é quando uma pessoa sofre de mononucleose. Adultos muito raramente desenvolvem amigdalite. Quase 80% dos adultos nos Estados Unidos ainda têm suas amígdalas. Existem ocasiões em que as amígdalas, garganta e áreas adjacentes ficam infectadas. Quando isso acontece, a pessoa sofre de faringite que é mais grave do que uma típicoa amigdalite. Amigdalite pode levar a faringite.
As crianças que são regularmente submetidas em casa a fumo passivo têm uma chance muito maior de necessitar de cirurgia para amigdalite repetitiva em comparação com crianças que vivem em lares livres de fumo. Infelizmente, cerca de 20% de todas as tonsilectomias feitas nos EUA são atribuídas ao fumo passivo.

Outro risco elevado para amigdalite inclui pessoas que sofrem de obstrução nasal. Esta situação força a pessoa a respirar usando a boca o que aumenta as chances de desenvolver amigdalite. Outro fator de risco inclui contato frequente com uma pessoa que tenha sido infectada com amigdalite.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL