Causas, sintomas e tratamento da amigdalite. Definição e detalhe dos diferentes tipos de amigdalite, nomeadamente amigdalite viral, amigdalite aguda bacteriana e amigdalites de repetição. Abordamos todos os tipos de tratamentos, médicos, alternativos e naturais.


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Retirar as amigdalas

Porque não se retira as amígdalas para não ter mais amigdalites?
A retirada das amígdalas deixa o organismo desprotegido da sua ajuda, no combate às infecções, na medida em que elas são o primeiro escudo contra as bactérias, que querem invadir o organismo.
Pessoas sem amígdalas desenvolvem mais faringites (infecção da faringe), portanto, deve ser evitado ao máximo.


A remoção cirúrgica das amígdalas, é normalmente opção para doentes com infecções repetidas, principalmente se interferirem com a vida quotidiana da pessoa. Considera-se infecção repetida em crianças quando têm 6-7 episódios num ano, ou 4-5 amigdalites em cada ano de dois seguidos ou três em cada ano de três sucessivos.
Nos adultos, a gravidade e a frequência associada a infecções repetidas são factores considerados mais relevantes que o número absoluto de episódios. A cirúrgica também está indicada quando há uma tal hipertrofia das amígdalas (associada também aos adenoides) que leva a problemas graves do sono, nomeadamente o ressonar, apneia do sono, obstrução nasal; otites ou sinusites de repetição.

Leia outros artigos:



ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL